domingo, 1 de setembro de 2013

De tantas que sou

Eu já fui da razão a loucura com intervalos de goles de café amargo, para combinar com a poesia que o momento pedia. Engraçado como a vida parecia eterna nesses momentos. Nesse desajuste do tempo. Ou haveria de ser meu? O desajuste? Sempre culpa-se algo.
Culpo a estrada. As placas não estavam certas, ou será que não li direito... O fato é que segui aquele caminho como se meu fosse por direito adquirido, com carimbo de viagem.
Regras existem para serem quebradas! Quebrei-as, dei voltas e voltas e descobri que
Eram só isso, voltas!

Estou na loucura novamente, mas dessa vez, da vida. 
Um café, por favor, mas dessa vez com açúcar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário